espetáculo . REVELA-ME

O espetáculo ‘Revela-me’ teve a sua estreia em abril de 2021 nos Antigos Celeiros da EPAC, em Évora. O texto original e a encenação do espetáculo partem de um processo de contaminação entre as diferentes atividades e criações no âmbito do projeto artístico homónimo, que se assume como um movimento de ativação de territórios esquecidos e periféricos, com criação e direção de Ana Luena e José Miguel Soares, da Malvada.

‘Quero ser uma paisagem que ninguém olha. Um corpo sem alma. Quero ser palavra não dita. Uma língua que ninguém percebe. Apenas sons. Uma cacofonia.’

Ao conceito de Periferia juntou-se um espaço de abandono, o Antigo Hospital Psiquiátrico dos Canaviais, que durante o Estado Novo foi Albergue de Mendicidade, um instrumento da política de promoção da exclusão e do isolamento. Hoje o abandono a que ele está sujeito continua a ser sinal de periferia, no entanto o esquecimento é também terreno fértil e o vazio surge aqui como expectativa, como prenúncio de uma revelação. Nas duas visitas que fizemos ao Antigo Hospital Psiquiátrico realizou-se um registo fotográfico que o documenta, o torna visível e que serviu o início desta narrativa performativa. 

Esta criação cénica emerge do interior deste espaço desabitado e interdito que está a ser ocupado por arquivo morto. Pastas enfiadas em sacos de plástico azuis, enormes. Lá dentro arquivos com dados pessoais, listas, enfermidades de pessoas que já morreram ou que ainda estão vivas. Agora todos pertencentes a este lugar. Poderíamos ser nós encerrados num saco azul, numa cama, num quarto, numa gaveta, numa página, numa fotografia, numa notícia do jornal ou apenas num nome. Encerrados num nome. Esvaziados numa letra. ‘Revela-me’ constrói-se por camadas de (des)ocultação numa dramaturgia que explora a periferia na relação com o outro e na cena, o vazio como possibilidade de ser e de encontro, a ruína que somos todos. Um espaço que se abre e se fecha. O decalque de uma parede. Uma vida espalhada aos bocados. É dos corpos dos intérpretes e das caixas seladas que irrompe um discurso fragmentado que alinha histórias, pensamentos, cartas, nomes, vidas, pessoas. Destroços. Eu e tu. 

‘Uma vez uma amiga disse-me que o que mais lhe doeu quando perdeu a pessoa mais importante da sua vida, foi o mundo não ter parado. O mundo continuou a existir, o dia amanheceu, os carros continuaram a circular, as pessoas agitadas a atravessar as ruas, aviões a levantarem voo, os sinos das igrejas a tocarem, os carteiros a entregar o correio de porta em porta, as salas de cinema cheias, as pessoas a irem com os sacos para as praias, a rirem-se, a abraçarem-se, a beijarem-se.’

Criação e direção artística Ana Luena e José Miguel Soares Texto, encenação, cenografia e figurinos Ana Luena Interpretação Inês Pereira, Nuno Nolasco Desenho de luz Pedro Correia Música Zé Peps Operação de som Manuel Chambel Costureiras Luisa Sousa, Adozinda Cunha Fotografia e conceito José Miguel Soares Fotógrafos [Fora de Campo] António Carrapato, Pedro Vilhena, Rui Dias Monteiro, Sofa Berberan, Susana Paiva Oradores [Conversas da Periferia] Afonso Cruz, Álvaro Domingues, Gabriela Moita Assistentes de produção Beatriz Ourique, Rita Boavida Design gráfico Joana Areal Produção Malvada Associação Artística Coprodução Câmara Municipal de Évora – Call Artes à Rua 2020, Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco Parceiros O Espaço do Tempo, Teatro-Cine de Torres Vedras, Teatro de Giz, Lendias d’Encantar, Cães do Mar, Junta de Freguesia de Canaviais, Associação Grupo de Teatro luventuti Virtutis, Associação de Surdos de Évora Cofinanciado por Alentejo 2020, Portugal 2020, Fundo Social Europeu – União Europeia

Revela-me tem o Apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes

Circulação
  • 19, 20, 21, 22 e 23 de abril 2021, Call Artes à Rua 2020 / Câmara Municipal de Évora, 23 de abril c/ Língua Gestual Portuguesa
  • 30 de abril 2021, Blackbox do Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo
  • 3 de setembro 2021, Cine-Teatro Avenida, Castelo Branco
  • 17 de setembro 2021, Teatro-Cine, Torres Vedras

Leave a Reply Cancel reply

Exit mobile version
%%footer%%